Boletim/Aviso Circular 14/18 07-09-2018

MACIEIRA

Mosca-da-fruta

Ainda não foram intercetados adultos de mosca-da-fruta nas armadilhas instaladas nos postos de observação. Atendendo a que as condições meteorológicas se encontram favoráveis ao seu desenvolvimento aconselhamos, nos pomares com histórico da praga e nas variedades tardias, a observação de 150 frutos (5 frutos x 30 árvores) e se registar 2 a 3 frutos atacados, deve efetuar tratamento. Encontram-se autorizadas as seguintes substâncias ativas: acetamiprida (IS – 14 dias), deltametrina (IS – 7 dias), deltametrina+tiaclopride (IS – 7 dias), fosmete (IS – 28 dias) e lambda-cialotrina (IS – 7 dias).

Nota: continuamos a registar capturas de adultos de Bichado-da-Fruta e frutos com perfurações recentes. Considerando que se encontra a decorrer o período de colheita, aconselhamos vigilância das variedades de maturação tardia e se realizar tratamento opte por um produto que controle ambas as pragas.


OLIVEIRA

Mosca-da-azeitona

Observámos um aumento do número de adultos nas armadilhas e, nas variedades mais sensíveis, frutos picados, com ovos e larvas vivas, acima do Nível Económico de Ataque. As condições meteorológicas favoráveis, em particular o aumento da humidade relativa, irão promover a evolução da praga. Aconselhamos a observação de 100 azeitonas e a realização de tratamento caso registe 8 a 12 % com formas vivas. Consulte a lista de produtos homologados que consta no verso da presente Circular.

Gafa, Olho-de-Pavão e Cercosporiose

Derivado à ocorrência de aguaceiros e trovoadas nalguns locais da região, aconselhamos a realização de tratamento caso tenha ocorrido precipitação no seu olival. Opte por produtos à base de cobre. A formulação oxicloreto de cobre é a única homologada para o conjunto das doenças visadas.

A DGAV procedeu à publicação do Ofício Circular n.º 25/2018, relativo a Restrições/alterações ao uso de produtos fitofarmacêuticos com base na substância ativa lambdacialotrina, em resultado da revisão dos limites máximos de resíduos (LMR).


PSILA AFRICANA DOS CITRINOS

Face à dispersão do inseto Trioza erytreae foi atualizado o mapa e lista de freguesias que integram, total ou parcialmente, a zona demarcada. Dos concelhos abrangidos por esta Estação de Avisos, encontram-se na zona parcialmente dentro da zona demarcada as freguesias de Arcozelo das Maias e Ribeiradio do concelho de Oliveira de Frades. Ao abrigo do número 1, do artigo 20.º do Decreto-Lei n.º 154/2005 de 6 de setembro, alertam-se todos os proprietários de citrinos das freguesias acima mencionadas para a obrigatoriedade de realizar tratamento com ACTARA 25 WG, CONFIDOR O-TEQ, EPIK SG ou DELEGATE 250WG. Se não possuírem cartão de aplicador deve ser utilizado o produto de uso não profissional, POLYSEC ULTRA PRO. Encontram-se na zona de vigilância os concelhos/freguesias de Castro Daire (Cabril, Parada de Ester e Ester), Mortágua (Cercosa, Espinho, Marmeleira, Mortágua, Vale Remígio, Cortegaça e Almaça, Pala, Sobral e Trezói), Oliveira de Frades (Arcas e Varzielas, Destriz e Reigoso, Oliveira de Frades, Souto de Lafões e Sejães, Pinheiro, São João da Serra, São Vicente de Lafões), São Pedro do Sul (Carvalhais e Candal, Manhouce, Santa Cruz da Trapa e São Cristóvão de Lafões, São Martinho das Moitas e Covas do Rio e Valadares), Tondela (Barreiro de Besteiros e Tourigo, São João do Monte e Mosteirinho) e Vouzela (Cambra e Carvalhal de Vermilhas e Campia). Nestas freguesias não é obrigatório realizar tratamento, mas recomendamos alerta e na presença de sintomas suspeitos, agradecemos contacto para esta Estação de Avisos.


BATATEIRA

Epitrix sp.

Nos tubérculos são observadas galerias com traçado sinuoso causadas pelas larvas. Recomendam-se, como medidas preventivas, a limpeza dos campos, a destruição dos restos de cultura, a eliminação das zorras e infestantes e rotação com culturas não solanáceas. Para mais informações consulte informação disponível na DGAV.

Tecia solanivora

Esta praga de quarentena ataca os tubérculos, quer em campo, quer em armazém, causando a sua destruição ao escavar galerias onde se acumulam resíduos de alimentação e excrementos que favorecem o desenvolvimento de podridões. Caso observe sintomas suspeitos contacte a Estação de Avisos do Dão. Consulte aqui folheto informativo.


Consulte o Boletim no Serviço Nacional de Avisos Agricolas:
Ainda Não Disponível