Boletim/Aviso Circular 13/18 27-07-2018

MACIEIRA

Bichado da Fruta

Aconselhamos a realização de estimativa de risco. Observe 20 frutos por árvore, em 50 árvores na bordadura e interior do pomar e se contabilizar entre 5 a 10 frutos atacados, renove o tratamento assim que terminar persistência do anterior.

Cochonilha de S. José

Já foi atingido, em toda a região, o somatório de temperaturas para eclosão de larvas da 2ª geração da Cochonilha de S. José. Aconselhamos, nos pomares/parcelas onde se verifica a presença da praga, a realização de tratamento. Nota: utilize produtos que controlem o bichado da fruta e a Cochonilha de S. José em simultâneo.

Aranhiço vermelho

As condições meteorológicas favoreceram o desenvolvimento da praga e registamos a sua presença localizada em alguns pomares. Recomendamos a realização de estimativa de risco no pomar, observando 100 folhas do terço superior do ramo. O tratamento deve ser realizado apenas quando 45 a 50% das folhas apresentarem formas móveis.


OLIVAL

Traça da oliveira

As capturas da traça da oliveira encontram-se muito baixas na região. Nesta fase, o ataque da traça é dirigido apenas aos frutos. Recomendamos um tratamento para esta praga apenas nos olivais onde haja produção que justifique o tratamento. Veja a lista de produtos homologados para traça-da-oliveira no verso desta circular.


VINHA

Medidas culturais

A vinha continua a apresentar um crescimento intenso, que aliado à forte humidade e frescura noturna poderão promover o desenvolvimento de doenças como míldio (nas folhas) e podridão cinzenta (nos cachos). Para evitar ou reduzir estes problemas deve manter a sebe arejada, realizando despontas e desfolhas quando necessário. A desfolha deve ser efetuada de modo a arejar o cacho, sem o descobrir por completo, não o expondo diretamente à luz.Deve remover apenas as folhas que se encontram ao nível dos cachos e não a níveis superiores de forma a evitar escaldão.


PEQUENOS FRUTOS

Mosca-da-asa-manchada (Drosophila suzukii)

As condições meteorológicas verificadas nos últimos dias foram favoráveis ao desenvolvimento da praga, tendo sido observado um forte ataque na cultura do mirtilo. Como medida para diminuir o grau de infestação, é fundamental proceder à retirada de todos os frutos atacados e sobremaduros das parcelas e enterrar a 50cm de profundidade ou colocar em sacos pretos, bem fechados e expostos ao sol, a fim de proceder à sua solarização. Para combate a esta praga devem ser privilegiados todos os meios de luta, conforme preconizado em Circulares anteriores. A aplicação de produtos fitofarmacêuticos deve ser realizada nos períodos em que os adultos da praga estão mais ativos no pomar, durante a noite e pela manhã, quando as temperaturas são mais amenas. Encontram-se homologados para a luta química os produtos constantes do quadro que acompanha a presente circular. Os mesmos podem ser consultados no link: http://www.dgv.min-agricultura.pt/portal/page/portal/DGV/genericos?generico=4207815&cboui=4207815, Extensões de Autorização de Produtos Fitofarmacêuticos concedidas para as Utilizações Menores.


Consulte o Boletim no Serviço Nacional de Avisos Agricolas:
Ainda Não Disponível